20 de set de 2012

"Que é que desejas?"

Por Luís Lopes

 A mulher de Zebedeu, acompanhada pelos filhos, aproximou-se de Jesus e inclinou-se diante dele para lhe fazer um pedido.
Jesus perguntou-lhe: "Que é que desejas?"
Ela respondeu: "Faz com que estes meus dois filhos ocupem os primeiros lugares no teu reino, um à tua direita e outro à tua esquerda."

Os outros dez discípulos ouviram a conversa e ficaram indignados com os dois irmãos.
Jesus chamou a todos e disse-lhes: "Como sabem, os que governam os povos tem poder sobre eles e os grandes são os que mandam neles. Mas não pode ser assim convosco. Pelo contrário, aquele que quiser ser grande ponha-se ao serviço dos outros; e aquele que quiser ser o mais importante, seja como um criado dos outros. Pois também o Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida como resgate de muitos."

A mãe dos filhos de Zebedeu reconhecia Jesus como alguém muito importante e com a posição de rei e ambicionava um bom lugar para seus filhos. Nada mais, nada menos do que as posições logo abaixo de Jesus. Muitos poderão pensar: Esse pensamento é perfeitamente natural, pois toda mãe quer o melhor para seus filhos...
Hoje em dia muitos pais continuam a ter altas ambições para os seus filhos: terminar a universidade, chegar ao topo da empresa, ter fama, poder, dinheiro...

Mas esses conceitos humanos de grandeza chocam muitas vezes com os conceitos de Deus, pois muitas pessoas aos olhos do mundo são grandes, mas pequenas aos olhos de Deus.
Depois de um diálogo entre Jesus e aquela mãe, vem a indignação dos outros discípulos: Quem julgam ser esses dois? Vieram aqui com mamãe para tentar passar-nos a perna? Querem ficar acima de nós?

Pense comigo: Por que será que os outros dez ficaram tão irritados? Será por que no fundo eram exatamente iguais aos outros dois e também gostariam de ter um lugar de destaque?
Jesus teve que chamar todos eles e explicar-lhes que aqueles que almejavam ser seus discípulos, não poderiam seguir hábitos mundanos. Parece que ainda hoje estes hábitos persistem... Veja por exemplo a atitude de pessoas que se aproveitam da sua posição de poder e destaque para subjugar outros, e que tem uma noção de grandeza focada no seu ego e em serem servidos pelos chamados "inferiores".

Jesus vinca bem a questão de que entre seus seguidores o que quisesse ser grande deveria servir os demais, e coloca-se como exemplo. Ele, que é verdadeiramente rei, que habita na mais elevada posição celestial junto ao Pai, veio para servir e para dar a vida por nós. Que grande amor!

Estes ensinamentos devem ser vividos por nós - na nossa igreja e nas demais áreas da nossa vida - não devendo haver sentimentos mesquinhos de ambição carnal ou inveja, mas sim, disposição para servir.
Assim Deus nos ajude!


.