19 de out de 2012

Sentindo pelos outros (2)


“ Incessantemente faço menção de vós... pedindo sempre em minhas orações...” Romanos 1:9-10

Um professor da Bíblia escreve: “Nós não somos parecidos, não agimos de forma idêntica nem nos vestimos de maneira igual. Temos gostos diferentes no que diz respeito a comida, livros, carros e música. Trabalhamos em empregos diferentes…. Gostamos de passatempos diferentes… mas temos algo em comum: sabemos o que significa sofrer. O sofrimento é universal. As lágrimas são iguais para judeus, muçulmanos, cristãos, caucasianos, negros, asiáticos, crianças, adultos e para os mais idosos. Quando a vida magoa e os sonhos desaparecem expressamos a nossa angústia de formas diferentes, mas cada um de nós conhece o aguilhão da dor, dor de coração, doenças, catástrofes, provas e sofrimentos.

Um grande pregador de tempos passados uma vez disse a um grupo de jovens aspirantes a pastores: ´Preguem para os que sofrem e nunca vos faltará uma congregação´. Há um coração partido em cada banco da igreja. O sofrimento é o fio comum a todas as nossas roupas.

Quando Pedro escreveu a sua primeira carta aos crentes espalhados por toda a Ásia focou-se em uma coisa que os juntava – o sofrimento. Estas pessoas estavam a ser chamuscadas pelas mesmas chamas da peseguição que, dentro de alguns anos, iriam tirar a vida do apóstolo. As suas circunstâncias eram as mais gélidas que se podia imaginar. No entanto, Pedro não tentou animá-los com pensamentos positivos. Em vez disso, ele gentilmente estendeu-lhes a mão e levantou os seus rostos para o céu, para que eles pudessem ver, para além das circuntâncias, a sua vocação celestial.

Algumas pessoas sabem instintivamente o que dizer para encorajar os outros, elas são as únicas que procuramos quando estamos a passar por tempos difíceis. Jetro encorajou Moisés (Êxodo 18); Epafrodito pregou para Paulo (Filipenses 2:25-30).
Peça a Deus para fazer de si o tipo de amigo cuja presença traz conforto e encorajamento.”

 A Palavra para Hoje UCB Portugal