23 de fev de 2018

Coração sábio – Vida abundante e passaporte para a eternidade (Parte 2)


SENDO RICOS PARA COM DEUS!

Lucas 12:15 “Então lhes recomendou: Tende cuidado e guardai-vos de toda a avareza; porque a vida de um homem não consiste na abundância de bens que ele possui”.

Neste texto vemos um homem na multidão que interrompeu Jesus e pediu para que ele resolvesse um problema entre ele e seu irmão.

Jesus recusou envolver-se nesta questão, pois sabia que qualquer resposta que ele desse não iria resolver o problema que estava presente na vida dos dois irmãos. O nome deste problema era avareza.

Enquanto os dois homens fossem gananciosos, nenhum acordo seria satisfatório. Eles precisavam de uma transformação no coração.

Alguém certa vez disse: A avareza é a sede insaciável de uma quantidade cada vez maior de algo que acreditamos ser necessário para nos fazer sentir verdadeiramente satisfeitos.

Pode ser a sede pelo dinheiro ou pelas coisas que o dinheiro pode comprar, pode também ser a sede por cargos, pelo poder, pela popularidade, etc.

Jesus não negou que nós todos temos certas necessidades básicas (Mt 6:32) e que não é errado nos esforçarmos para alcançarmos certas coisas na vida.

Ele apenas afirmou que não tornamos a vida mais rica e nem melhor quando adquirimos mais coisas.

A busca desenfreada para conseguir mais coisas pode sufocar a Palavra de Deus (Mt 13:22), pode criar armadilhas e tentações (1 Tm 6:6-10) e pode criar uma falsa sensação de segurança.  

Alguém certa vez disse: Os que se contentam com as coisas que o dinheiro pode comprar correm o risco de perder aquilo que o dinheiro não pode comprar.

O fazendeiro da parábola contada por Jesus (Lucas 12:16-21) viu em sua riqueza uma oportunidade de satisfazer a si mesmo e não pensou em Deus e nem em seus semelhantes.

A filosofia do mundo diz que devemos cuidar primeiro de nós mesmos, mas Jesus não apoia essa forma errônea de pensar. Pois quando chega nosso momento de morrer, não há riqueza, pertences ou bens que possam nos manter vivos. O mestre deixou muito claro que a vida, o sucesso e a segurança verdadeiros não se encontram na abundância dos bens que possuímos. (vs 15)

Esse homem tinha uma visão equivocada da vida e da morte. Pensava que a vida verdadeira estava no ter e no acumular mais coisas e que a morte seria um acontecimento bem distante, algo que ele não precisaria se preocupar por enquanto.

Jesus, entretanto, conta que este homem estava vivendo sem Deus e iria morrer sem Deus e que a sua riqueza não passava de uma circunstância desta vida. Seu patrimônio era algo que o havia desviado do real propósito e do verdadeiro significado de sua existência, que ao contrário do que ele pensava, deveria ser agradar e se relacionar com Deus.

Jesus queria através desta história enfatizar que aquele homem teria pela frente a eternidade sem Deus e que isso é a pior tragédia que pode acontecer com alguém!

Ele finaliza destacando que não devemos ajuntar tesouros para nós mesmos, mas sermos ricos para com Deus, entregando-se a Ele e vivendo para cumprir os seus propósitos nesta Terra (Lc 12:21).

Deus vos abençoe!



Continua...